31 julho 2009

Conquistas e renascimentos ao longo dos anos


Escrevi os 3 textos abaixo para o portal G1, da Globo.com, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, de um tempinho atrás. Como esses temas são sempre atuais, resolvi publicá-los aqui no blog. Aliás, todo dia é dia da mulher, né? Ou deveria ser...


Na cidade onde moro, na Suécia, há aproximadamente 120 mil habitantes! Dentre os estrangeiros, estão mulheres de várias nacionalidades, raças e religiões. O que une essas estrangeiras no mesmo país e na mesma cidade são, na maioria das vezes, histórias de amor ou histórias de guerra. O medo de não ser aceito na sociedade sueca, segrega tanto mulheres quanto homens estrangeiros.
No caso das mulheres, principalmente às que vêm do Oriente Médio e países africanos, são sempre vistas na companhia de outras mulheres dos mesmos países. O que gera uma grande dificuldade na hora de aprender o idioma sueco, imprescindível para a entrada no mercado de trabalho e conquista de novas amizades e contatos sociais importantes.
As suecas? São mulheres independentes, que há anos lutam pela igualdade de oportunidades dos sexos e que se saem muito bem nessa empreitada. Mas é claro, com relação ao mercado de trabalho, os salários, em vários setores, estão londe de chegar ao tão sonhado nível de igualdade.
Mas questões como licença-maternidade representam uma grande conquista para a mulher na Suécia, país em que esse benefício pode chegar a 1 ano e meio. Lembrando que a mulher tem o direito de dividir esse direito com o companheiro, caso queira. As leis suecas reconhecem a importância, tanto do pai quanto da mãe na vida da criança nos primeiros anos de vida.
Falando sobre outro assunto e de um ponto de vista mais latino da coisa, o “ruim” dessa busca constante de igualdade dos sexos faz com que os homens suecos passem a “evitar” o cavalheirismo em certas atitudes, pensando que a mulher vá interpretar um ato de cavalheirismo como uma tentativa de subjugá-la, de vê-la como sexo frágil.
Já percebi que atos que nós, brasileiras, vemos como gentileza e até incentivamos nos nossos parceiros, como o fato de abrir a porta para que entremos primeiro, não existem ou não são incentivados entre os suecos.
No campo profissional, as mulheres, são, como no Brasil, a maioria nos setores da saúde e educação. Apesar da sociedade sueca ser uma sociedade livre para homens e mulheres, há mulheres estrangeiras, a maioria vinda de sociedades mais rígidas, que continuam vivendo sob o total controle do marido, da família, da religião e dos hábitos comuns de seus países de origem. Outras, aproveitam a vida numa sociedade livre para quebrar estigmas e tabus, e renascerem!
Conheco uma muçulmana do Afeganistão, a qual vou chamar de Latifha, que serve como um típico exemplo desse “renascimento” ao qual me referi. Latifha usava o véu muçulmano, era tímida, mal olhava diretamente nos olhos quando falava com alguém. Muito aplicada nos estudos da língua sueca, decidiu que queria, de qualquer maneira, arranjar emprego. E contava com o total apoio do marido, também afegão, para concretizar esse plano.
Após dois anos sem nos vermos, encontro uma nova Latifha na rua: sem o véu, com maquiagem e roupas européias - que sempre disse querer usar - e empregada! Era uma outra luz no mesmo tímido olhar afegão!

Créditos: Globo.com (portal G1)

21 comentários:

Maria Cláudia disse...

Nossa, que texto interessante e em alguns momentos me pareceu como um "tabefe" na cara. Não digo na minha, mas eu gostei da sua sinceridade.
Muto bom mesmo, linda! Gostei do texto e vc me fez ficar pensativa! haha

Beijos e se cuida!!!!
::Mari::

Anônimo disse...

Tava com saudades dos seus posts, amiga. Pára não...
Beijos, Fe Favaro

Anônimo disse...

Olá ! Adoro os seus posts e agora eu to fazendo um trabalho Sobre a suécia e queria saber se tem como vc me ajudar dobre isso.

Suécia é muito dificil de achar algo,Sobre a culinaria,costumes,Coisas tipicas ou algo que caracterize esse lugar (que é lindo pelo oq ando vendo durante a pesquisa)
Mas as informações que acho são pocas ou quase inutilizaveis

Vc poderia por favor me ajudar ?

Meu email --Bruninha_choc@hotmail.com

Tertuliano disse...

Oi!

Meu nome é Filipe. E tenho em comum contigo não só a nacionalidade, mas a profissão e uma grande atração pela Suécia.

Poxa, sei que provavelmente não sou o primeiro que vem ao seu blog para pedir orientação e ideias sobre como ir para aí. E por isso te peço desculpas.

Mas o fato é que sou extremamente curioso em relação ao país, sua cultura e história. Gostaria de conhecer e morar aí, trabalhar e tudo mais.

Se não for incomodo, me dá uma dica?

Desde já, obrigado.

PS.: ótimas pautas sobre a mulher por aí!

Anônimo disse...

Olá nós não nos conhecemos.
Sou Caronny 31, moro na Suécia 03 anos preciso de umas orientaçoes suas.Estou numa situaçao um pouco complicada e nao sei como agir.
Penso que vc pode me ajudar.
Meu Email é SOL_FERR_BER@HOTMAIL.COM.
Espero entrar em contato com vc brevemente .
bjs

Tertuliano disse...

Oi;


Realmente, não deixei email. Cabeçudo.

Enfim, pra remediar o engano: filipegarrett@hotmail.com

Obrigado pela atenção!

teresa disse...

amiguinha virtual, estou com blog novo: http://teresanairlanda.blogspot.com/. beijo.

PAOLA disse...

OI querida, tudo bem? adorei o seu texto! Ah primeiro gostaria de falar, que sou cause como sua amiga !! rsrsrrs.Ja tenho mais ou menos 9 meses aqui e nao falo a lingua, nao tenho trabalho e não posso fazer cursos, para aprender o Sueco, e poder arranjar um trabalho! Eu moro na cidade de Karlstad, voce conhece?
Onde vc mora? Gostaria muito de saber, como fazer para estudar a lingua, o que tem aqui pra estrangeiros? Aqui ta o meu e-mail, se souber alguma informação sobre esssa cidade onde estou morando, por favor avise-me! ( paulasampaio23@hotmail.com).
Beijos adorei o seu texto.
Tudo de bom.
Paula.

MARCO JR disse...

Ola ,
Meu nome é Marco e gostaria de saber como é a vida aí na Suécia ...
Gostaria de saber sobre o mercado de trabalho principalmente o da tecnologia o qual atuo !
Grande Abraço
Marco

Emerson Rodrigues disse...

Oi Cacau,
Minha familia, pelo lado materno, é de origem sueca, mas aqui no Brasil recebenos o sobrenome Anibal, meu bisavo, que era de Estocolmo, chamava-se Eduardo Anibal (aportuguesado claro).
Já tentei de varias formas procurar as origens, via internet, aí na Suécia, mas não consegui.
Creio que a grafia, em portugues, deva ter alterado completamente o nome e o sobrenome do meu bisa, a unica coisa que temos é uma carta em sueco, escrita pela irmã dele que trabalhava no Palacio Real como florista e que depois mudou-se para os EUA e perderam o contato. Não dá pra ler nem o nome dela na carta.
Como faço para, aí na Suecia, via internet tentar localizar pelo menos a saida do meu bisa e o seu nome e sobrnome corretos?
Grato,
Emerson Rodrigues

teresa disse...

Cacau, querida, passando rapidamente, antes que o avião vá embora, pra te desejar um Natal bem gostoso e um Ano Novo cheio de promessas. Beijo grande.

Jose Roberto de Aquino disse...

Parabéns pelo blog, adoro os textos sobre a Suécia que aliás eu gostaria de conhecer, você poderia me passar seu email para lhe pedir algumas dicas?
Jose josef.aquino@gmail.com

Grace Olsson disse...

Cláudia, seiq ue o bebê já nasceu, pela data que me falastes.Olha, passei 30 dias no Brasile, aco voltar apra a Suécia, minah casa(e mais 4 na a´rea) foi arrombada e levaram mutia coisa..Inclusive, o pc. E no outlook express estava seu email...
dai, decidi te contactar por aqui,.
bjs e dais felzies

Juliana disse...

Oii cacau, adorei seu Blog, seus textos são fantasticos. Meu sonho é ir morar na Suécia, eu queria muito sabr como começar uma vida ai.. Adoraria se você me adicionasse no msn e tirar algumas de minhas duvidas. Ficaria muito feliz..

juh.mb@hotmail.com

Abraços

Caita disse...

Gostei mto do seu blog! Moro em Madrid com meu namorado SUECO e só tenho à dizer que nao troco ele por nenhum outro brasileiro que já tive! hahaha Ele é um FOFO (como a maioria dos suecos) Cuidam das tarefas domésticas, sao pontuais, certinhos, educados ,inteligentes ,respeitam MUUUITO a relaçao. Vamos p Suécia outra vez em poucos dias , AMO a SUECIA !! Mta sorte p vc!!! beijos

Rafaela disse...

Oi,

Meu nome é Rafaela e estou me mudando para Stockholm em agosto, sou mae de um menino de 5 meses, o Bernardo, e estou A P A V O R A D A.
Voce, como mae e brasileira, entende, e se voce tiver alguma dica, ajuda, qualquer coisa, PLEASE!! me mande!

vou morar ai durante 10 meses, pois meu marido vai fazer um curso na hyper island, conhece?
se puder,
me de noticias!

Um beijo,

Rafaela
rangelrafaela@hotmail.com

mercia disse...

Oi Claudia,
estou atualizando a lista do www.mundopequeno.com para a suecia.
Como vc nao posta a algum tempo, gostaria de saber se o blog ainda esta ativo ou se vc mudou de endereco.

Gostaria da sua resposta para atualizar seu blog no site.

Obrigada
Mercia

Josane Mary disse...

Oi, tudo certinho?
Parabéns pelo post! Concordo, todo dia é o dia da mulher! ksks
Encontrei o seu blog no ‘Mundo Pequeno’ e vim fazer uma visitinha!
Também sou expatriada; sai do Brasil em 2000, e desde 2003, moro na Holanda. (O choque cultural existe e acaba sendo benéfico - de uma maneira ou de outra -. Sou da opinão que existem coisas boas e ruins em qualquer lugar do planeta! Nós é que temos que ressignificá-las à nossa moda!)
Será uma alegria se visitar o meu cantinho virtual:
http://josanemary.wordpress.com/mevrouw-jane/

Tenha um ótimo dia nessa Suécia (que já conheci e sei qué é mesmo linda!)
Grande abraço!

Bia Siqueira disse...

Olá Cacau, tudo bem?
Estou dirigindo um documentário sobre Os Dilemas Profissionais da Mulher Mãe. Gostaria de ter seu email pra lhe explicar mais, pois um dos pontos a serem abordados é exatamente a licença à maternidade, no Brasil e no mundo.
Obrigada, Bia Siqueira (email: biasiqueira@obravideos.com.br)

daniele carvalho disse...

Este texto e uma análise sociológica ,realmente essa segregação acontece , não apenas entre as imigrantes de origem africana e do oriente , algumas tailandesas são bem afastadas do convívio com as suecas , não estou fazendo uma generalização , porém tive contanto com algumas e observei esse comportamento.
É interessante, pois , quando estava no Brasil e lia artigos , não imaginava essa dicotomia,comecei a ter uma visão mais apurada quando tive contanto são várias suécias dentro duma

Willian Bugiga disse...

A paz de Cristo,gostaria de indicar meu blog:willian bugiga e o site:www.convertidos.com.br.
Que a paz de Cristo esteja com todos.